Confira o edital para concurso público de pesquisador científico da APTA

SAA abre concurso para servidores de apoio à pesquisa científica

Referência no Brasil, programa do IP monitora a produção pesqueira na costa de São Paulo

Boletim do Instituto de Pesca: pioneirismo nas áreas de Pesca, Aquicultura e Limnologia

Notícias

Livro online gratuito ensina tecnologias de conservação e preparo do pescado

capa pescadoésaúde salga secagem defumação min

O Instituto de Pesca (IP-Apta), órgão da Secretária de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, em parceria com a Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro), disponibilizou a versão para download do livro “Pescado é Saúde -  salga, secagem e defumação”. A publicação é a quarta edição da série “Pescado é saúde” (clique aqui para acessar).

Os manuais visam estimular o consumo do pescado e, nessa edição, o livro traz informações sobre a forma correta de sua conservação e processamento por meio de três etapas: a salga, seja ela seca, úmida, mista ou salmoura, que preserva  e inibe a proliferação de bactérias com o uso de sal comum; o processo de secagem, que pode ser feito de forma artificial, utilizando de secador solar e câmaras de ar quente ou frio, ou ao ar livre; e as formas de defumação, que são feitas com a atuação de fumaça quente, fria ou líquida. Além disso, a publicação contém oito receitas feitas com pescado seco, salgado e defumado, desenvolvidas pela equipe de nutricionistas da Codeagro.

De acordo com Thaís Moron Machado, pesquisadora do Instituto de Pesca, o objetivo da série é desmistificar o pescado e despertar no consumidor a vontade de consumi-lo. “A ideia é apresentar ao público as informações que nós trazemos da pesquisa com uma linguagem mais acessível, a fim de mostrar o produto e estimular o consumidor a provar a variedade de pescados que nós temos disponível”, explica Thaís.

Para Milene Massaro Raimundo, diretora do Centro de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Cesans), órgão da Codeagro, a disseminação dessas informações é fundamental para estimular o consumo. “Hoje, nós temos os produtos e as tecnologias disponíveis, mas não temos as informações necessárias para o preparo. Se nós queremos aumentar o consumo, temos que disponibilizar esses dados para o consumidor de forma fácil e rápida”, diz Milene.

O secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, enfatiza que a publicação é mais uma ação da Pasta que tem como foco a segurança alimentar e a nutrição. “Ao longo dos últimos anos realizamos diversas ações nesse sentido, seja proporcionando debates entre os órgãos da Secretaria e a sociedade civil organizada ou levando informações de qualidade por meio de publicações, como no caso da série de manuais Pescado é Saúde. São orientações do governador Geraldo Alckmin que temos seguido à risca”, diz.

Ao todo, as quatro publicações da série “Pescado é Saúde” já somam mais de 10 mil downloads no site da Codeagro, e a próxima edição abordará o tema Reaproveitamento Integral do Pescado. A edição tem lançamento previsto para o próximo Simpósio de Controle de Qualidade do Pescado (SIMCOPE), que está previsto para ocorrer no segundo semestre de 2018.

 

Mais informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento
Instituto de Pesca
(11) 3871-7549 / (11) 3871-7588
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Pesquisadores do IP apresentam resultados de pesquisa durante workshop internacional

Os resultados de um projeto de pesquisa que estuda a melhora da qualidade de peixes de cultivo para o consumo humano foram apresentados durante o workshop internacional “Quality of cultured fish for human consumption”, realizado no campus da Universidade Estadual Paulista (Unesp) Jaboticabal, entre os dias 8 e 9 de novembro de 2017. O projeto é desenvolvido entre pesquisadores brasileiros em parceria com dinamarqueses e conta com a apoio do corpo técnico do Instituto de Pesca (IP-Apta) e do Polo Regional da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) de Jaú, ambos ligados à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

Na oportunidade, os pesquisadores do IP Cacilda Thaís Janson Mercante e Clóvis Ferreira do Carmo, juntamente com o pesquisador da Apta Gian Marco David, apresentaram os resultados de seus estudos sobre a qualidade da água para a criação de tilápia em tanques-rede nos reservatórios da região do Médio e Baixo Tietê, com foco na saúde dos peixes. Já a pesquisadora do Centro do Pescado Continental do IP Fabiana Garcia Scallopi falou sobre o potencial zoonótico de bactérias patogênicas em tilápia-do-nilo no Estado de São Paulo.

As pesquisas foram realizadas no âmbito do projeto “IMPCON - Improved Quality of cultured fish for human consumption”, coordenado pelo professor Reinaldo José da Silva, do Instituto de Biociências da Unesp de Botucatu e que é financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e pelo Innovation Fund Denmark. Também participam dos estudos pesquisadores da Universidade de Copenhagen.

 

Qualidade da água e saúde dos peixes

De acordo com a pesquisadora Cacilda Thaís Janson Mercante, as análises de variáveis realizadas tiveram o objetivo de caracterizar os fatores físicos, químicos e biológicos da água nos locais selecionados. “Os resultados evidenciaram a necessidade de cuidado com as baixas temperaturas da água ocorrida no mês de setembro, pois podem acarretar em estresse aos peixes. Outro ponto é que as concentrações mais elevadas de amônia podem ter um efeito tóxico sobre os peixes. E também há a necessidade de se monitorarem os níveis de oxigênio dissolvido na água para evitar possíveis mortandades de peixes”, explicou a pesquisadora.

Outra questão destacada pelo grupo de pesquisadores é a necessidade de boas práticas de manejo no processo produtivo, principalmente no que diz respeito ao controle da quantidade e qualidade da ração. De acordo com os especialistas, essas são práticas essenciais para minimizar a entrada de nutrientes na água das áreas aquícolas. Ao mesmo tempo, a melhor gestão da bacia hidrográfica com maior controle das descargas difusas ou pontuais de nutrientes advindos do seu entorno contribuiriam para a melhoria da água e, consequentemente, permitiria os usos múltiplos dos reservatórios sem prejuízos à atividade aquícola.

 

- Por Leonardo Chagas
- Revisão Márcia Cippóli

 

Mais informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento
Instituto de Pesca
(11) 3871-7549 / (11) 3871-7588
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Instituto de Pesca e Codeagro promovem diálogo sobre segurança alimentar na aquicultura

Representantes do setor de aquicultura se reuniram em 24 de novembro no Parque da Água Branca para a realização do “Diálogos de Segurança Alimentar e Aquicultura", evento promovido pela Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro) em parceria com o Instituto de Pesca (IP-Apta).

Na oportunidade foi traçado um panorama dos diferentes elos da cadeia produtiva, abordando temas como: aspectos nutricionais, hábitos dos consumidores, pesquisas e novas tecnologias, logística, produção e abastecimento no mercado pesqueiro.

Para falar sobre esses temas estiveram presentes autoridades no assunto: Érika Furlan, Milene Raimundo, Martinho Colpani e Elane Cristina Santos.

Outros temas que surgiram no decorrer do evento foram: resíduos, pescado na merenda escolar, custos, legislação, tendências e potencial da produção orgânica.

Rubens Rizek, Secretário Adjunto de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, parabenizou as equipes envolvidas na elaboração do evento, devido a importância de se pensar em estratégias de cooperação, de forma técnica, para garantir a Segurança Alimentar no Estado.

Érika Furlan, pesquisadora da Unidade Laboratorial de Referência em Tecnologia do Pescado do IP, diz que “a união de esforços de todos da cadeia produtiva, detectando entraves e vislumbrando oportunidades é primordial. Cada um tem uma limitação de conhecimento. Para que o potencial seja aproveitado é importante ter a visão do todo”, concluiu.

“O evento abraçou todas as esferas de atuação. Para dar uma amplitude no mercado da pesca é necessário oferecer um produto de qualidade, com preços competitivos”, disse Elane Cristine Correa Santos, do Grupo Pão de Açúcar.

O Presidente da Câmara Setorial do Pescado, Martinho Colpani afirmou que o evento é estratégico e social, e não é só importante para a cadeia, mas também para a sociedade. O pescado chega a preços exorbitantes e as pessoas não têm acesso. O nosso desafio é produzir mais para oferecer um produto de qualidade com preços acessíveis. 

Os Diálogos de Segurança Alimentar são realizados desde o início de 2016. É uma iniciativa do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Consea-SP) e tem por objetivo contemplar temáticas contemporâneas como: Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS); Mudanças Climáticas, Abastecimento; Sustentabilidade; Resíduos Orgânicos; Matriz Africana; Economia Agrícola. Até o final do ano será realizado um Diálogo de Segurança Alimentar focado em Comunidades Urbanas. 

 

Por Codeagro

Montagem e manutenção de aquários é tema de curso no Instituto de Pesca

O Instituto de Pesca (IP-APTA), órgão de pesquisa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, realizará no dia 9 de dezembro de 2017 o curso “Montagem, manutenção de aquários e técnicas de reprodução de peixes ornamentais de água doce – noções básicas”. O evento será realizado das 9 horas às 18 horas no Auditório do IP, localizado no Parque da Água Branca, na capital paulista.

Coordenado pelo pesquisador Mauricio Keniti Nagata, do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Peixes Ornamentais do Instituto de Pesca, o curso abordará temas relacionados a conhecimentos técnicos básicos sobre a montagem e manutenção de aquários, com o biólogo, Júlio Cézar Ghisolfi, e apresentará técnicas de reprodução de peixes ornamentais de água doce, com o pesquisador Mauricio Nagata. Além disso, os participantes farão uma visita ao aquário do IP e à área de manutenção e reprodução de organismos aquáticos ornamentais do Instituto.

O curso oferece 35 vagas destinadas a estudantes, hobistas, proprietários e/ou funcionários de lojas de aquarismo, potenciais criadores comerciais e demais interessados em manutenção, criação e reprodução de peixes ornamentais de água doce.  

As inscrições devem ser feitas por meio do site da Fundepag e o valor de investimento é de R$ 130,00. Para inscrições antecipadas até o dia 21 de novembro, o valor é de R$ 100,00; até 1 de dezembro – R$ 115,00. Para as inscrições realizadas no dia será cobrado o valor integral em espécie. Estudantes e funcionários da APTA têm desconto de 50% nas respectivas datas.

Para mais informações, os interessados devem entrar em contato pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo telefone (11) 3871-7588.

Para visualizar a programação completa do curso clique aqui.

 

Serviço:
Curso Montagem, manutenção de aquários e técnicas de reprodução de peixes ornamentais de água doce – noções básicas
Data: 9 de dezembro de 2017
Horário: das 9 horas às 18 horas
Local: Auditório do Instituto de Pesca - Parque da Água Branca
Av. Francisco Matarazzo, 455 – Perdizes - São Paulo – SP

 

Mais informações:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento
Instituto de Pesca
(11) 3871-7549 / (11) 3871-7588
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 
 Vídeos da Área

A pesquisadora do Centro do Pescado Marinho do Instituto de Pesca (IP-Apta), Ingrid Cabral Machado, concedeu entrevista à Rede TVT sobre a pesca artesanal durante o Fórum Social da Baixada Santista.

Caso tenha difuiculdade para assistir ao vídeo, acesse: https://www.youtube.com/watch?v=PqSSAXZV7hs

IP Na Mídia

CIESP convida para evento sobre Piscicultura

Com diversos painéis, evento abordará discussões sobre o setor na região noroeste de São Paulo

 

O Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP) realizará um evento sobre piscicultura na região, contando com a participação de profissionais e personalidades da área. Os palestrantes convidados irão debater sobre vários temas como mercado, pesquisas, desenvolvimento e processos de implantação. O evento acontece no dia 18 de dezembro, das 8h30 às 12h, na CIESP Alta Noroeste, que fica na rua João Cruz e Souza, número 896, Jardim Nova Iorque, em Araçatuba, São Paulo. As inscrições podem ser feitas por aqui.

Confira abaixo a programação:

 

8h30: Café de boas-vindas

9h00: Abertura: Samir Nakad / Diretor Titular do Ciesp Alta Noroeste (Araçatuba)

9h10: Clóvis Ferreira do Carmo / Instituto de Pesca

            "Plano de Demarcação e Implantação de Parques Aquícolas no Estado de São Paulo"

9h30: Luiz Marques da Silva Ayroza / Instituto de Pesca

            "Atividades de Pesquisa do Instituto de Pesca no Estado de São Paulo"

9h50: Francisco Medeiros / Associação Brasileira da Piscicultura - Peixe BR

            "Agronegócio da Aquicultura Brasileira"

10h10: Emerson Esteves / Associação de Piscicultores em Águas Paulistas e da União - Peixe SP

            "Agronegócio da Aquicultura Paulista"

10h30: Roberto Kikuo Imai / Comitê da Cadeia Produtiva da Pesca e da Aquicultura - Compesca/Fiesp

            "Aquicultura: a nova fronteira do agronegócio brasileiro"

10h45: Luiz Otávio Manfré / Comitê de Bacia Hidrográfica do Baixo Tietê - CBH-BT

            "Disponibilidade da Água no Baixo Tietê"

11h00: Adriana Nunes / Centro Paula Souza

            "Contribuição do Centro Paula Souza na Formação Técnica em Piscicultura"

 

Fonte: Fish TV, Dez/2017 (http://www.fishtv.com)
Para acessar a notícia clique aqui

Diretor Secretario da ANEPE, Jairo Naca, ministrou palestra sobre Pesca Esportiva no Instituto de Pesca de Santos

No dia 04 de dezembro, Diretor Secretario da ANEPE e Sócio da Magic Fish, Jairo Naca, ministrou uma palestra, a convite do Instituto de Pesca de Santos, vinculado à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, para a os aluno de pós-graduação em biologia, onde o tema abordado foi “A Atual Situação da Pesca Esportiva no Brasil e os Conflitos que Geram entre a Pesca Extrativista , Esportiva e Comercial.

“ANEPE – Trabalhando para a Defesa e Estimulo da Pesca Esportiva Brasileira”

 

Fonte: Associação Nacional de Ecologia e Pesca Esportiva - ANEPE, Dez/017 (http://anepe.org.br)
Para acessar a notícia clique aqui

Empreendimentos ligados à pesca no Alto Tietê devem procurar licenciamento ambiental

Em novembro completou um ano da publicação do decreto que regulamenta a atividade da aquicultura. Oito pesqueiros da região ainda precisam de regulamentação.

 

O Escritório de Desenvolvimento Rural (EDR) de Mogi das Cruzes já recebeu a solicitação de três proprietários de empreendimentos ligados à pesca para o licenciamento ambiental da aquicultura.

De acordo com o Instituto de Pesca, oito pesqueiros que estão fora das Áreas de Proteção de Mananciais (APM), ainda precisam se regularizar nas cidades de Mogi, Santa Isabel e Arujá.

Em todo o Estado de São PaUlo, durante o primeiro ano da publicação do decreto, foram recebidas 1.593 Declarações de Conformidade da Atividade Aquícola (DCAA) . Os novos empreendimentos também precisam solicitar a documentação para a operação.

O decreto foi publicado em novembro de 2016 e seu objetivo é tirar os pequenos, médios e grandes produtores da informalidade.

A partir do momento que estes estabelecimentos são reconhecidos oficialmente pelo Governo Estadual, os proprietários podem consultar linhas de crédito para o segmento do pescado o que, até então, não é oferecido para quem vivia na informalidade.

A documentação para a regularização é classificada em dois tipos: para os empreendimentos que estão em áreas de proteção de mananciais e para aqueles que não estão instalados em área protegidas.

Os estabelecimentos que não estão inclusos em áreas de proteção de mananciais precisam apenas solicitar a Declaração de Conformidade da Atividade Aquícola (DCAA).

Já para quem está instalado em área de proteção de manancial precisa solicitar a Licença de Operação junto à Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb).

De acordo com a Associação de Pescadores de Santa Isabel (Apasian) são 28 pesqueiros nas cidades de Santa Isabel, Arujá e Mogi Cruzes que precisam se regularizar. Destes, 20 estão localizados em áreas de proteção de mananciais.

 

O decreto

O documento é dividido em 29 artigos e classifica os tipos de estruturas de pesca e determina quais espécies podem ser criadas em cada uma delas.

Além disso, a atividade da aquicultura fica reconhecida como de interesse social e econômico.

É preciso que o empreendedor informe a localização do estabelecimento, descreva o manejo produtivo, as estruturas para o cultivo, a sua profundidade e o volume total, por exemplo.

O formulário que deve ser preenchido por quem busca o licenciamento está disponível no site da Cetesb

 

Fonte: G1 - Mogi das Cruzes, Dez/2017 (https://g1.globo.com/sp/mogi-das-cruzes-suzano/noticia/)
Para acessar a notícia clique aqui

Previsão Oceânica

Previsão do Tempo