Um morador de Bertioga, no litoral de São Paulo, conseguiu uma façanha digna de 'Guiness Book' no último domingo (8). Utilizando uma canoa de 81 anos de idade, o pescador Oscar Faria fisgou um robalo-flecha de mais de 33 kg. O animal, considerado um dos maiores do mundo já capturados, virou atração entre os moradores e turistas da cidade.

Oscar e os companheiros foram, no fim da tarde, para a Praia de Guaratuba. Eles praticam a pesca de arrasto, em que a rede é jogada no mar a cerca de 500 metros da praia. Desta vez, os pescadores tiveram uma surpresa. “A rede vai dentro da canoa. Ultrapassamos as ondas, jogamos a rede, cercamos e puxamos. Por volta das 20h, tiramos a estrutura. Ficamos cerca de 40 minutos puxando”, conta o filho de Faria, David Oscar, de 19 anos.

Os pescadores se surpreenderam quando viram a grande quantidade de peixes da espécie xaréu na rede e, principalmente, um grande robalo-flecha. “Como sempre, é aquela emoção, todo mundo comemora. Hoje em dia não está fácil encontrar tantos peixes. O robalo tinha quase o tamanho do meu primo, mais de 33 kg, e foram cinco toneladas de peixes”, falou.

Oscar e os ajudantes levaram todos para a Praia de Guaratuba. Na areia, eles começaram a contabilizar o resultado da pescaria e acionaram a Peixaria da Luiza, conhecido comércio da cidade. O estabelecimento enviou caixas e um caminhão para ajudar a transportar os peixes. Das cinco toneladas, três foram para a banca da Luiza e a outra parte foi distribuída para a comunidade.

A canoa, batizada como 'Boto 2', utilizada na grande pescaria, era do bisavô de David. Deraldo Farias era pai de Oscar e também pescador. A tradição foi passada de pai para filho e, segundo eles, acabou dando sorte para a nova geração. “A nossa canoa tem muito tempo. São 81 anos. Ela passa de geração para geração. Meu pai é bem conhecido na região. A gente pratica a pescaria a remo. Meu avô era pescador também. A base do nosso sustento, desde 1989, é a pescaria, é a nossa fonte de renda”, afirma David.

Especialista

De acordo com o biólogo e pesquisador do Instituto de Pesca de Santos, Antonio Olinto Ávila da Silva, o xaréu é um peixe que vive na costa e na superfície. A espécie, geralmente, anda em cardumes, o que explica o fato de terem sido capturados cerca de cinco toneladas do peixe. Já o robalo, segundo o pesquisador, vive dentro do estuário.

“O xaréu fica mais perto e o robalo mais longe da costa. Elas não vivem em um mesmo ambiente, mas o mar não tem fronteiras. Com os deslocamentos marinhos, pode ocorrer um encontro deles”, explicou o biólogo.

Segundo Olinto, um robalo de 33 kg é um ponto fora da curva. “É uma boa captura. O macho flecha realmente cresce mais. Ele pode chegar a 1,40 metro e na faixa de 24,3 kg. Esse foi o maior tamanho publicado na bibliografia acadêmica científica. Realmente é um bicho grande”, comentou.

Ainda de acordo com o especialista, não é possível saber se esse é o maior que já foi capturado, por conta das competições de pesca e também de pescarias artesanais que, muitas vezes, não são publicadas em lugar nenhum. Porém, com certeza, é uma pesca inusitada. “É uma pesca que realmente chama a atenção. Pode acontecer, mas com essa quantidade e esse tamanho de robalo, não é frequente”, disse.

Lei ambiental

De acordo com a Fundação Florestal, responsável pela Área de Proteção Ambiental (APA) Marinha Litoral Centro, a pesca de arrasto é permitida pela Resolução SMA 51/201, que regula o exercício de atividades pesqueiras profissionais realizadas com o uso de redes nas praias inseridas nos limites da APA Marinha Litoral Centro, criada pelo Decreto nº 53.526, de 8 de outubro de 2008, e dá outras providências.

A referida pesca ocorreu na Praia do Guaratuba e teve inicio às 19h30, dentro do horário permitido para o desenvolvimento do arrasto de praia no local. A restrição de horário é das 9h às 19h no período de alta temporada. Ressalta-se, segundo a resolução, que a Praia do Guaratuba é considerada não urbanizada e com baixa frequência de banhistas. Deste modo, durante os meses de março a novembro, excetuando-se os fins de semana e feriados, a pesca com a utilização desses petrechos é permitida em qualquer horário.

Fonte: Folha Max, Jan/2018 (http://www.folhamax.com.br)
Para acessar a notícia clique aqui