Defeso da piracema tem início em 1º de novembro em SP: estoque de pescado deve ser informado

Curso Online de Criação de camarões de água doce

Coronavírus: ações em SP

Comunicado ao público

Saiba como escolher, armazenar e preparar adequadamente o seu pescado

Referência no Brasil, programa do IP monitora a produção pesqueira na costa de São Paulo

Notícias

Boletim do Instituto de Pesca, voltado à pesquisa em Pesca, Aquicultura e Limnologia, é publicado com novas regras e artigos

BIP

Estudantes, pesquisadores e interessados da cadeia produtiva do pescado já podem ler os artigos mais atuais do setor, disponíveis no Volume 46, número 2, do Boletim do Instituto de Pesca, revista científica do Instituto de Pesca (IP-APTA), órgão de pesquisa em Pesca, Aquicultura e Limnologia da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

As normas de publicação da revista foram alteradas, passando a incluir mais uma opção de formato de artigo a ser publicado: Artigos de Revisões Científicas. As informações detalhadas podem ser acessadas no Guia de autores.

Neste volume os temas tratados nos artigos são diversos, dentre eles estão os resultados de pesquisa voltada à produção do extrato da macroalga Kappaphycus alvarezii como biofertilizante foliar, a qual teve como objetivo analisar a viabilidade econômica do cultivo de algas marinhas frescas e seu extrato quimicamente caracterizado como alternativa técnico-econômica para comunidades costeiras. De acordo com os pesquisadores envolvidos, vários estudos já comprovaram a eficiência agronômica do biofertilizante em diversas culturas agrícolas.

Outro tema abordado foi o efeito do 17β-estradiol (E2), principal hormônio sexual feminino na feminização da espécie Leporinus macrocephalus. Estes estudos foram realizados por pesquisadores do Centro Universitário de Rio Preto – UNIRP e da Universidade Estadual Paulista – UNESP indicando que o uso de E2, administrado durante 60 dias, foi o tratamento mais efetivo na feminização da espécie com 50 dias de idade.

O Boletim

O Boletim do Instituto de Pesca (BIP) é uma revista científica de acesso aberto, publicado desde 1971, e é a primeira revista científica focada nas áreas de Pesca, Aquicultura e Limnologia no Brasil. Apresenta uma visão histórica do desenvolvimento das pesquisas em pesca e aquicultura no Brasil e no exterior.

O BIP publica resultados de pesquisas básicas e aplicadas, que contribuem para uma melhor compreensão do ambiente aquático, bem como o desenvolvimento de tecnologias para produção e processamento de organismos aquáticos (peixes, camarões, entre outros). Ênfase é dada aos resultados de contribuições interdisciplinares, desenvolvimentos metodológicos ou técnicos inovadores, itens com ampla aplicabilidade geral e experimentos locais ou regionais que podem ser uma fonte de inspiração para outras regiões.

Todo trabalho submetido ao BIP é avaliado preliminarmente pelo Conselho Editorial. A seleção inicial dos manuscritos é realizada após avaliação da adequação às normas de submissão, originalidade, qualidade e mérito científico do trabalho. Se aprovado, será enviado a dois revisores especialistas na área abordada.

O gerenciamento editorial é feito pela plataforma Open Journal Systems (OJS) do Public Knowledge Project (PKP), um sistema editorial utilizado no Brasil sob o nome de Sistema Eletrônico de Edição de Revistas (SEER), que foi personalizado pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT).

 

Informações
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11) 5067-0069

Instituto de Pesca participa de descoberta inédita no mundo

Tubarão duas cabeças

Cientistas identificaram tubarão-bagre com duas cabeças, corações, estômagos, esôfagos e rins e apenas um intestino

Pesquisadores do Instituto de Pesca (IP-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, participaram de uma descoberta inédita no mundo: um tubarão-bagre com duas cabeças, dois corações, estômagos, esôfagos e rins e apenas um intestino.  A pesquisa, liderada por Edris Queiroz e Luana Felix, cientistas do Instituto de Biologia Marinha e Meio Ambiente de Peruíbe, traz novos avanços para ciência e pode ser o início de um processo de descoberta de possíveis causas para essa anomalia.

De acordo com o pesquisador do IP, Alberto Amorim, o tubarão-bagre foi encontrado no oceano por pescadores de arrasto de camarão-sete-barbas. O animal neonato, ou seja, recém-nascido, foi levado pelos pescadores ao Instituto de Biologia Marinha e Meio Ambiente e os pesquisadores do IP foram chamados para fazer a identificação correta da espécie.

“O Instituto de Pesca tem longa expertise na identificação de espécies. Esse é um trabalho complexo, que precisa ser feito com muito cuidado. Anomalias desse tipo ocorrem ou podem ocorrer em diversos tipos de peixe ou tubarão. Na minha tese de doutorado, defendida em 1992, já havia identificado um embrião de tubarão-azul também com duas cabeças. Mas esta é a primeira vez que vemos um tubarão-bagre com essa característica”, conta Amorim. O trabalho também contou com Eduardo Malavasi, professor do Instituto Laje Viva, Projeto Mantas do Brasil.

Ao todo, o Instituto de Pesca já realizou mais de 20 novos registros de espécies de peixes e tubarões encontradas no Oceano Atlântico. Quase a totalidade delas, porém, não tinha nenhuma anomalia. “Temos diversos alunos que nos ajudam nesse trabalho. Iniciei pesquisas nessa área em janeiro 1974. Ao todo, eu e meus alunos já fizemos mais de 35 viagens com barcos de pesca industrial para realizarmos pesquisas e publicamos cerca de 150 publicações científicas a respeito”, conta.

 

Informações
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11) 5067-0069

Seis questões que podem te fazer incluir mais peixes na alimentação

prato saudavel peixe1

Pesquisadora da Secretaria de Agricultura e Abastecimento informa que peixe é um alimento saudável para adultos e crianças

O peixe é um alimento rico em proteínas de alto valor biológico e minerais, como cálcio, zinco, magnésio e ferro, além de algumas espécies serem fonte de gordura boa, como o ômega 3. O pescado é um alimento altamente nutritivo e traz como mais uma vantagem a preparação rápida, em poucos minutos, trazendo praticidade para o dia a dia das famílias.

A pesquisadora do Instituto de Pesca (IP-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Cristiane Rodrigues Pinheiro Neiva, responde seis dúvidas frequentes sobre o consumo de pescado que vão te fazer incluir mais peixes na alimentação. Confira! 

Quais as melhores espécies para consumir?

No Brasil é possível encontrar uma rica diversidade de espécies de pescado, ou seja, de peixes, crustáceos (camarões e caranguejos), moluscos (ostras, mexilhões, polvo e lula), répteis (rã e jacaré), além de algas. “Portanto, temos muitas oportunidades de variar o consumo de espécies marinhas ou de água doce, provenientes da pesca ou da aquicultura ou ainda em preparações simples ou gourmet”, diz Cristiane.

Os consumidores podem variar a preparação utilizando pescados magros, como pescada, linguado, merluza ou bacalhau, e gordos, como sardinha, salmão, atum e cavalinha. “O sabor de cada espécie sofre influências do conteúdo de gordura, sendo, em geral, os peixes gordos considerados por alguns consumidores como os mais saborosos, enquanto os magros apresentam sabor suave e agradam paladares mais requintados”, explica a pesquisadora do IP.

Os benefícios à saúde são reais?

Sim. Segundo Cristiane, há muitos dados científicos sobre os benefícios que o consumo de pescado e algas trazem a saúde, como redução do risco de morte por doença coronária e derrame, diminuição do risco de diabetes, aumento do período de gestação e melhora do desenvolvimento cognitivo e do desenvolvimento neural infantil – quando consumido antes e durante a gestação – e redução do risco de câncer de tiroide em mulheres.

O pescado é um alimento do futuro?

De acordo com a pesquisadora do IP, o pescado representa um alimento importante para o futuro em termos de nutrição, segurança alimentar e sustentabilidade e é a terceira proteína mais consumida pela humanidade depois de cereais e leite. “Uma alimentação rica e segura na infância estimula uma alimentação saudável na vida adulta. Portanto, a criança que cresce comendo peixe, provavelmente será um consumidor saudável quando adulto”, afirma.

Não gosto do cheiro... o que fazer?

O cheiro de peixe pode ser desagradável para muitas pessoas e é um indicador de como está o frescor do pescado, sendo uma característica importante para ser observada na compra do produto. “Peixes frescos e com qualidade apresentam cheiro e sabor suaves, sendo os odores ruins sinais de deterioração. Escolha locais de compra que demonstrem e garantam a procedência e os cuidados higiênicos e sanitários necessários e recomendados pelas autoridades sanitárias”, explica Cristiane.

Como o peixe e os frutos do mar estragam mais rápido do que outras carnes, organize-se quanto a quantidade comprada e sua conservação refrigerada até o momento do preparo. Na dúvida congele pequenas porções a serem consumidas de cada vez, descongele-as sob refrigeração e evite o recongelamento.

Como fazer com a presença de espinhas?

Algumas espécies de peixe possuem pequenos ossos ou espinhas intramusculares, o que pode causar acidente na hora do consumo. A sugestão é atenção para a retirada desses espinhos antes do consumo ou o preparo de peixes sem esses organismos, como cação, pirarucu, pintado, tambaqui e bagre, principalmente, quando se for servir pratos à base de pescado para as crianças. Outra opção é a compra de filé ou de carne mecanicamente separada que apresentam menores chances de terem espinhas.

Peixe pode ser consumido por crianças?

Sim, podem. Os especialistas em saúde recomendam incluir o pescado de duas a três vezes por semana para adultos, com porções de 100 a 120g, e de uma a duas vezes por semana para as crianças com porções de 30g a mais, conforme a idade. O Guia Alimentar para Crianças Menores de 2 anos, desenvolvido pelo Ministério da Saúde, recomenda a partir do sexto mês, pode-se fazer a introdução do peixe na dieta dos bebês.

As crianças podem ser mais receptivas ao pescado se a escolha começar por espécies com sabor mais suave como a pescada, a tilápia ou o linguado. Para conquistar o paladar infantil busque novas formas de preparo e inove nas receitas.

Cristiane sugere o preparo, por exemplo, de iscas ou pedaços de peixes empanados em casa. “Comece temperando o peixe com sal e limão, mergulhe as tiras no ovo batido e cubra com farinha de rosca caseira, regue com azeite, leve ao forno e sirva com um delicioso molho de iogurte ou mostarda com mel. O preparo ao forno de filés com azeite, tomates, cebolas e batatas em rodelas e ervas frescas, pode ser uma ótima alternativa a fritura! Não esqueça da praticidade dos enlatados no preparo de saladas de batata, patês e molhos para massas”, orienta a pesquisadora do IP.

Muitas crianças têm acompanhado o aumento de consumo de peixes crus, o qual pode acontecer com os cuidados relacionados a manipulação e conservação adequados antes do preparo para que não haja risco de contaminação microbiológica. “O peixe cru fica delicioso e mais seguro se servido como ceviche, mergulhado no caldo de limão, azeite e rodelas finas de cebola”, diz Cristiane.

Mais informações

Para mais informações sobre o consumo de pescado, acesse as publicações da série Pescado é Saúde, produzidas pelo IP e a Coordenadoria de Desenvolvimento dos Agronegócios (Codeagro):  

Pescado é Saúde – Aproveitamento Integral do Pescado
Pescado é saúde: salga, secagem e defumação
Pescado é saúde: uso do frio

 

Informações
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11) 5067-0069

Defeso da piracema tem início em 1º de novembro em SP: estoque de pescado deve ser informado

defeso 2020

Em 1º de novembro 2020 tem início o período de defeso continental em duas bacias hidrográficas que abrangem o Estado de São Paulo – a do rio Paraná e a do Atlântico Sudeste (rios Paraíba do Sul e Ribeira de Iguape). A pesquisadora Paula Maria Gênova de Castro Campanha, do Instituto de Pesca (IP-APTA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, alerta que durante o defeso está proibida a pesca de espécies nativas, mas que pescadores, comerciantes e indústrias também precisam estar atentos para informar ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (IBAMA) sobre o pescado que possuem em estoque.

“A Instrução Normativa do Ibama nº 25, publicada em setembro de 2009, diz que no período que antecede o defeso, devem ser declarados os estoques de pescado in natura, resfriados ou congelados, armazenados por pescadores profissionais e os existentes nas Colônias e Associações de pescadores. A medida também vale para frigoríficos, peixarias, entrepostos, postos de venda, restaurantes, hotéis e similares”, explica Paula.

De acordo com a pesquisadora do IP, a regra tem por objetivo comprovar que o pescado comercializado durante o período de defeso foi capturado antes do início dos meses em que há restrição à pesca. Para isso, o interessado deve preencher o formulário de declaração de estoque (ANEXO I) (clique aqui) e entregá-lo ao IBAMA até dois dias úteis após o início do período de defeso

(E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.).

Atendimento IBAMA: https://www.ibama.gov.br/fale-com-o-ibama

Preservação dos estoques pesqueiros

O defeso é o período de fechamento da pesca de espécies de peixes em reprodução para proteção da fauna aquática. A pesquisadora do IP explica que a medida é uma política pública necessária para a sustentabilidade dos recursos pesqueiros, pois dá aos peixes a chance de crescimento e reprodução, fases importantes para o ciclo de vida desses animais, evitando assim a diminuição dos estoques ao longo do tempo.

Entretanto, durante o período de defeso a pesca de espécies não nativas, de híbridos e de camarão gigante da Malásia é permitida se realizada sem que o pescador esteja embarcado e usando equipamentos como linha de mão, caniço, vara com molinete ou carretilha. Porém, nestes casos há regras específicas sobre a quantidade de peixes que pode ser capturada. A cota para pescadores amadores é de 10 quilos mais um exemplar e para pescadores profissionais não há limitações.

Para os reservatórios, há ainda a permissão para pesca embarcada e desembarcada de pescadores profissionais e amadores, desde que sigam as restrições para uso de equipamentos de pesca (veja abaixo).

O período de defeso termina em 28 de fevereiro de 2021. Até lá, as pessoas que vivem da atividade e possuem documentação comprobatória poderão requisitar o seguro-defeso junto ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Veja abaixo alguns exemplos do que é permitido e proibido durante o período de defeso:

PERMITIDO

  • As modalidades embarcada e desembarcada:
  • Modalidade desembarcada e utilizando linha de mão, caniço, vara com molinete ou carretilha, com o uso de iscas naturais e artificiais.
  • Pescador profissional não tem limite para captura de espécies exóticas, alóctones e híbridos, exceto do Piauçu (Leporinus macrocephalus).
  • Pescador amador com cota de 10 quilos mais um exemplar, considerando as mesmas espécies permitidas para o pescador profissional.
  • Pescadores profissionais e amadores o transporte de pescado por via fluvial somente em locais cuja pesca embarcada é permitida.
  • O pescado oriundo de locais com período de defeso diferenciado ou de outros países, estando acompanhado do comprovante de origem.

Observação: O segundo dia útil após o início do defeso é o prazo máximo para declaração de estoque de peixes ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) ou órgão estadual competente.

PROIBIDO

  • A pesca da Jusante da UHE de Nova Avanhandava até a foz do ribeirão Palmeiras.
  • A pesca para todas as categorias e modalidades:

I - Nas lagoas marginais;
II - A menos de 500 metros de confluência e desembocaduras de rios, lagoas, canais e tubulações de esgoto;
III - Até 1500 metros a montante e jusante de cachoeiras, corredeiras, barragens, reservatórios e de mecanismos de transposição de peixes (escada).

  • Uso de trapiches ou plataformas flutuantes de qualquer natureza.
  • Pesca subaquática
  • Uso de materiais perfurantes, tais como: arpão, fisga, bicheiro e lança.
  • Utilização de animais aquáticos, inclusive peixes, camarões, caramujos, caranguejos, vivos ou mortos, inteiros ou em pedaços como iscas. (Exceção: peixes autóctones, oriundos de criação, acompanhados de nota fiscal ou nota de produtor).
  • A realização de campeonatos de pesca, tais como: torneios, campeonatos e gincanas. (Não se aplica a competições de pesca em reservatórios usando a captura de espécies alóctones, exóticas e híbridos).
  • Captura, transporte e armazenamento de espécies nativas da Bacia Hidrográfica do Rio Paraná, inclusive espécies utilizadas para fins ornamentais e de aquariofilia.

Endereços importantes:

Superintendência do Ibama em São Paulo (Supes/SP)

Endereço: Alameda Tietê, nº 637 - Jardim Cerqueira César - Cep: 01417-020 - São Paulo/SP
Telefone: (11) 3066-2633
Atendimento: https://www.ibama.gov.br/fale-com-o-ibama
E-mail - Supes: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Horário de funcionamento: 8h00 às 12h00 e 13h00 às 17h00. *O atendimento ao público está suspenso: Medidas preventivas contra o coronavírus: Ibama prioriza atendimento por canais eletrônicos e suspende prazos processuais por prazo indeterminado.


Instituto Nacional do Seguro Social - INSS
 São Paulo, SP

Viaduto Santa Ifigênia, 266 - Centro Histórico de São Paulo, São Paulo - SP, 01033-050

Telefone : (11) 3544-3333

https://www.gov.br/inss/pt-br/@@search?SearchableText=pedido+de+seguro-defeso

Ouça o podcast da Secretaria para mais informações sobre o defeso: 

Spotify: https://open.spotify.com/episode/6vJP1MDkHGGwypt8Nn3aad?si=Kehxyqa2TNqUi80e1apSbQ 
Soundcloud: https://soundcloud.com/user-326872100-410422792/saa-defeso-da-piracema-tem-inicio-em-1-de-novembro-em-sp 

Informações
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
(11) 5067-0069

 

Agenda

Reserve essa data - XIV Reunião Científica do Instituto de Pesca

Data: 6 a 8 de abril de 2021

Horário: 8 horas às 18h00

Realização: Centro de Pesquisa de Aquicultura

Breve Resumo: A REUNIÃO CIENTÍFICA DO INSTITUTO DE PESCA – RECIP, é um evento que proporcionará oportunidade de intercambio técnico científico entre os participantes, permitindo a geração de conhecimento e de tecnologia nas áreas de pesca e Aquicultura. Assim, o evento poderá contribuir para a orientação das pesquisas dentro deste novo conceito.

Curso teórico-prático de Controle da Qualidade do Pescado

Data: 04 e 05 de março de 2021

Horário: 8 horas às 17h00

Realização: Centro Avançado de Pesquisa do Pescado Marinho

Breve Resumo: O curso enfoca a qualidade do pescado como fator determinante nas características do produto final. São discutidos conceitos e fatores de qualidade do pescado, dando-se ênfase aos parâmetros de avaliação. São realizadas as análises mais importantes voltadas à qualidade do pescado para o consumo, bem como, a leitura e a interpretação dos resultados destas análises.

Local: Departamento de Agroindústria de Alimentos, Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" - Universidade de São Paulo (ESALQ/USP).


Destinatários: Profissionais dos setores de controle de qualidade, pesquisa, desenvolvimento de pescado e seus derivados, professores e estudantes da área.

Apoio: Lex Experts Food Business Solutions, Christeyns Brasil e FUNDEPAG.

Coordenação: Dra. Érika Fabiane Furlan (Instituto de Pesca)

Número de Vagas: 40

Investimento: R$ 1.200,00 - profissionais;
R$ 600,00 – estudantes e servidores público.

Inscrições: Clique aqui

Informações: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. (13) 3261-2653 (Érika)

Endereço: Av. Pádua Dias, 11 - Cx. Postal 9 - Piracicaba - SP CEP 13418-900

Equipe técnica: Dra. Erika Fabiane Furlan (coord. IP), MSc.Sarah de Oliveira (Lex Experts), Dra. Juliana Antunes Galvão (ESALQ/USP) e Carla Lima Gomes (Christeyns Brasil), Dra. Renata Miranda de Carvalho (MAPA).

Programa previsto:

Dia 04/03/2021
8h – Inscrição e entrega de material
8:30h – Abertura: Apresentação da equipe técnica do curso e programa
9h – Qualidade do pescado: fatores intrínsecos e extrínsecos ao pescado
10h – Coffee break
10:20h – Boas práticas e regulação voltada a qualidade do pescado
11:20h – Parasitas em Pescado: legislação e técnicas de pesquisa
12:30h – Almoço livre
14:00h – Principais métodos analíticos para aferição da qualidade do pescado
15:00h – Aulas práticas: principais métodos físico-químicos para aferição da qualidade do
pescado e pesquisa de parasitas
16:40h - Coffee break
17:00h – Roda de conversa
19h – Jantar por adesão


Dia 05/03/2021
8h – A análise de histamina no dia a dia da indústria
9h - Riscos microbiológicos na cadeia produtiva do pescado
10h - Coffee break
10:20h – Inovação tecnológica no controle microbiológico do pescado
11:20h – Rastreabilidade na cadeia produtiva do pescado: ferramenta a serviço da qualidade
12:30h – Almoço livre
14:00h – Aula prática: métodos de coleta de amostras e detecção dos
principais agentes patogênicos
16:30h – Café com prosa
17:00h - Encerramento

Curso sobre Projetos Inovadores e Publicações Internacionais

 

Data: 26 a 27 de novembro de 2020

Realização: Comitê de Pós-graduação (CPG) / Instituto de Pesca / APTA / SAA

Destinatários: pesquisadores do Instituto de Pesca e demais Institutos de Pesquisa da APTA, pós-graduandos e outros discentes ligados aos Institutos de Pesquisa

Coordenação: Pq.C. Claudia M. F. Mostério e Pós-graduando Mikel E.de Mello

Apresentação: Dr. Wagner Cotroni Valenti - "Aquaculture Reports (Elsevier), Executive Editor Fellow World Aquaculture Society"

Número de Vagas: 60

Investimento: Gratuito

Calendário das Inscrições e Inscrições: INSCRIÇÕES ENCERRADAS

a partir de 19/10/20 - Pesquisadores do Instituto de Pesca
a partir de  26/10/20 - Graduandos e pós-graduandos do Instituto de Pesca
a partir de  03/11/20 - Demais pesquisadores, graduandos e pós-graduandos da SAA
a partir de  15/11/20 - Demais interessados (estudantes, pesquisadores e profissionais da área)
 

 Acesse a live: Link disponível em breve

PROGRAMAÇÃO

Dia 26/11 quinta feira

9h00 às 10h15: Características dos periódicos cobertos pelo Sistema JCR-Web Science,  Scopus e Google Scholar. Cálculo do fator de impacto (IF), Cite Score (CS) e outros indicadores dos periódicos. Diferenças entre áreas e variáveis que interferem no valor final do IF e do CS. A interpretação correta do IF e CS. Eles medem realmente a qualidade de um periódico? Entendendo o qualis da CAPES e comparação com IF e CS.

 

10h15 às 10h30: intervalo

 

10h30 às 12h00: Taxas de rejeição das revistas. A escolha do seu nome científico: precisa ser completo? Precisa usar o último? O índice h dos pesquisadores. Dicas para aumentar seu índice h.

 

12h00 às 14h00: intervalo - almoço

 

14h00 às 15h45: O que é um “world class paper”? Estrutura de um “world class paper”.Escolha do assunto e abordagem do tema. A coerência entre objetivo, delineamento experimental, apresentação dos resultados e discussão.

 

15h45 às 16h00: intervalo

 

16h00 às 17h00: Principais equívocos cometidos na elaboração dos textos científicos. Principais equívocos cometidos na apresentação de tabelas e figuras. Como trabalhar com as referências: quando citar e como citar; quando não citar.

 

Dia 27/11 sexta feira

 

9h00 as 10h15: Generalizações e inferências: até quanto avançar? Submissão: a escolha do periódico certo e indicação de “referees”. Como responder aos referees.

 

10h15 às 10h30: intervalo

 

10h30 às 12h00: O processo de revisão e tramitação do artigo. Principais motivos de rejeição de manuscritos em periódicos internacionais.

 

12h00 às 14h00: intervalo - almoço

 

14h00 às 15h45: Publicação x inovação. O que é uma inovação? O que é patente? Posso patentear e publicar? Registros de tecnologias no INPI e MAPA.

 

15h45 às 16h00: intervalo

 

16h00 às 17h00: O novo cenário internacional das pesquisas, publicações e inovações. Etapas na carreira científica dos pesquisadores e como ela pode ser acelerada.

image003

 Todas as informações e orientações serão constantemente atualizadas e amplamente divulgadas pelos meios de comunicação do Instituto de Pesca.

 

Eventos são suspensos por tempo indeterminado

Estão suspensos por tempo indeterminado cursos e eventos programados pelos Institutos e unidades de pesquisa da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. A suspensão visa conter a disseminação do coronavírus. Os eventos serão remarcados e anunciados em momento oportuno.

 

Secretaria de Agricultura e Abastecimento cria comitê para monitorar o Covid-19 e garantir a continuidade dos serviços essenciais

O Secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo Gustavo Junqueira publicou nesta terça-feira, 17, uma resolução para os direcionamentos do trabalho da pasta durante a pandemia do Corona Vírus. Na última semana, a Organização Mundial de Saúde declarou a pandemia de COVID-19. Segundo a OMS, o número de pacientes infectados, de mortes e de países atingidos podem aumentar nos próximos dias e os governos devem manter o foco na contenção da circulação do vírus.

Para manutenção dos serviços essenciais, em caráter emergencial e provisório, foi criado um Comitê de Gestão, que tem como objetivo analisar situações e fatos. O grupo deve propor e adotar medidas destinadas à segurança dos servidores, das atividades da pasta e, no que for cabível, relacionadas ao setor agrícola. A equipe trabalhará em conjunto enquanto perdurar a situação de pandemia.

Eventos e reuniões presenciais estão suspensas no âmbito da secretaria de Agricultura e Abastecimento por tempo indeterminado. Para eventos privados, está recomendado também o adiamento de feiras, leilões e rodeios. Deslocamentos e viagens devem ser submetidos à previa autorização e apenas em casos de extrema necessidade.

Fica instituído o home office (teletrabalho) para os servidores com mais de 60 anos e portadores de doenças crônicas. Pela resolução eles devem ficar disponíveis para atividades à distância durante o horário de trabalho. Para os demais colaboradores, estão liberadas as concessões de férias e licença prêmio, assegurando a permanência de um número mínimo de funcionários que garantam os serviços essenciais.

Para ingresso às instalações da Secretaria de Agricultura e Abastecimento fica recomendada a prévia higienização das mãos. Aos departamentos responsáveis e empresas contratadas a orientação é que se reforce a limpeza em áreas comuns como banheiros, elevadores e corrimãos.

Já materiais pessoais como celular, canecas e copos não devem ser compartilhados. As pessoas devem dar preferência pelos descartáveis. Vale lembrar que a COVIS-19, doença causada pelo mais recente coronavírus descoberto, passa principalmente por meio de gotículas respiratórias.

 

O servidor da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de SP que tiver dúvidas sobre orientações pode entrar em contato pelo link:

https://www.agricultura.sp.gov.br/contato/fale-conosco/

 

Acesse o manual de prevenção do Coronavírus desenvolvido pelo Governo do Estado de São Paulo

http://saopaulo.sp.gov.br/coronavirus/?utm_source=site&utm_medium=banner&utm_campaign=coronavirus-acoes-sp&utm_content=Coronav%C3%ADrus%20-%20A%C3%A7%C3%B5es%20do%20Governo%20de%20SP

 

Governo de SP cria canal no Telegram para combater notícias falsas sobre coronavírus

Aplicativo é mais um meio de divulgação de informações oficiais para orientar a população sobre prevenção e cuidados contra a COVID-19. Participe do grupo oficial: https://t.me/spcoronavirus

 

Adoção de medidas adicionais, de caráter temporário e emergencial, de prevenção de contágio pela COVID-19 (Novo Coronavírus)

A Diretoria do Instituto de Pesca informa aos seus técnicos que o Governo de Estado e a Secretaria de Agricultura e Abastecimento estão implantando diversas medidas para controlar a pandemia do Novo Coronavírus.  Torna-se importante neste momento que todos tomem ciência das ações e orientações constantes nos documentos a seguir:

- Decreto nº 64864, de 13/03/2020 - Dispõe sobre a adoção de medidas adicionais, de caráter temporário e emergencial, de prevenção de contágio pela COVID-19 - Novo Coronavírus, e dá providências correlatas;

- Resolução SAA 17, de 16/03/2020 - Institui o Comitê de Gestão para acompanhamento das ações da Secretaria de Agricultura e Abastecimento referentes às medidas emergenciais relacionadas à prevenção de contágio do Novo Coronavírus e estabelece providências correlatas;

- Deliberação 1, de 17/3/2020 - do Comitê Administrativo Extraordinário COVID-19, de que trata o art. 3° do Decreto 64.864.

 

 Coronavírus em SP: confira lugares fechados e eventos cancelados

https://catracalivre.com.br/agenda/coronavirus-sp-lugares-fechados-eventos-cancelados/

 

Ministra da Agricultura descarta risco de faltar alimentos por causa do coronavírus

https://revistagloborural.globo.com/Noticias/Agricultura/noticia/2020/03/ministra-da-agricultura-descarta-risco-de-faltar-alimentos-por-causa-do-coronavirus.html 

 

SP envia apoio aos Municípios para que mantenham em funcionamento as atividades relacionadas ao abastecimento de alimentos e insumos em todo Estado

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/sp-envia-apoio-aos-municipios-para-que-mantenham-em-funcionamento-as-atividades-relacionadas-ao-abastecimento-de-alimentos-e-insumos-em-todo-estado/

 

SP reconhece setor agro como essencial e envia apoio aos Municípios para que mantenham em funcionamento as atividades relacionadas ao abastecimentos

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/sp-reconhece-setor-agro-como-essencial-e-envia-apoio-aos-municipios-para-que-mantenham-em-funcionamento-as-atividades-relacionadas-ao-abastecimento/

 

Secretaria de Agricultura e Abastecimento recomenda a manutenção de varejões, sacolões e feiras livres e publica manual de boas práticas 

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/secretaria-de-agricultura-e-abastecimento-recomenda-a-manutencao-de-varejoes-sacoloes-e-feiras-livres-e-publica-manual-de-boas-praticas/

 

Empresas do agro iniciam produção de álcool para ajudar São Paulo no combate à COVID-19

 
 
Secretaria de Agricultura toma medidas de prevenção e mantém desenvolvimento de pesquisas e prestação de serviços para o setor de produção
 
 

Secretaria de Agricultura oferece livros digitais gratuitos com atividades para fazer durante a quarentena

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/secretaria-de-agricultura-oferece-livros-digitais-gratuitos-com-atividades-para-fazer-durante-a-quarentena/

 

Preenchimento e envio de Declarações de Conformidade à Atividade Agrícola e Aquícola podem ser feitos por via digital

 https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/preenchimento-e-envio-de-declaracoes-de-conformidade-a-atividade-agricola-e-aquicola-podem-ser-feitos-por-via-digital/

 

Governo de SP cria site com informações sobre as estradas para caminhoneiros

 https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/governo-de-sp-cria-site-com-informacoes-sobre-as-estradas-para-caminhoneiros/

 

Governo do Estado de São Paulo recebe 195 toneladas de alimentos doados para a população em situação de risco durante a pandemia de COVID-19

 https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/governo-do-estado-de-sao-paulo-recebe-195-toneladas-de-alimentos-doados-para-a-populacao-em-situacao-de-risco-durante-a-pandemia-de-covid-19/

 

Laboratório da Secretaria de Agricultura de São Paulo fará testes para a Covid-19

 https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/laboratorio-da-secretaria-de-agricultura-de-sao-paulo-fara-testes-para-a-covid-19/

 

Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo divulga boas práticas aos produtores para evitarem contaminação pela Covid-19

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/secretaria-de-agricultura-e-abastecimento-de-sao-paulo-divulga-boas-praticas-aos-produtores-para-evitarem-contaminacao-pela-covid-19/

 

Grupo Técnico de Monitoramento do Governo de São Paulo faz o primeiro diagnóstico dos impactos da COVID-19 na produção agropecuária

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/grupo-tecnico-de-monitoramento-do-governo-de-sao-paulo-faz-o-primeiro-diagnostico-dos-impactos-da-covid-19-na-producao-agropecuaria/

 

Definidos como essenciais, serviços da Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo continuam ativos com eficiência

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/definidos-como-essenciais-servicos-da-defesa-agropecuaria-do-estado-de-sao-paulo-continuam-ativos-com-eficiencia/

 

Secretaria de Agricultura e Abastecimento lança manual de boas práticas contra Covid-19 para a população rural

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/secretaria-de-agricultura-e-abastecimento-lanca-manual-de-boas-praticas-contra-covid-19-para-a-populacao-rural/

 

Secretaria de Agricultura e Abastecimento disponibiliza manual com boas práticas aos consumidores contra a Covid-19

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/secretaria-de-agricultura-e-abastecimento-disponibiliza-manual-com-boas-praticas-aos-consumidores-contra-a-covid-19/

 

Novo diagnóstico dos impactos da COVID-19 na produção agropecuária é lançado pelo Grupo Técnico de Monitoramento do Governo de SP

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/novo-diagnostico-dos-impactos-da-covid-19-na-producao-agropecuaria-e-lancado-pelo-grupo-tecnico-de-monitoramento-do-governo-de-sp/

 

Cidades paulistas adotam sistema de ‘Drive Thru’ em feiras livres

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/cidades-paulistas-adotam-sistema-de-drive-thru-em-feiras-livres/

 

Planejamento e coordenação são estratégias da Cooperiopreto para enfrentar a crise

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/planejamento-e-coordenacao-sao-estrategias-da-cooperiopreto-para-enfrentar-a-crise/

 

Ativo, Grupo Técnico de Monitoramento do Abastecimento em SP lança novo relatório sobre impactos da COVID-19 na produção agropecuária

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/ativo-grupo-tecnico-de-monitoramento-do-abastecimento-em-sp-lanca-novo-relatorio-sobre-impactos-da-covid-19-na-producao-agropecuaria/

 

Nota Técnica elaborada pela Secretaria é resultado de uma sondagem sobre a Covid-19 feita com produtos rurais paulistas 

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/nota-tecnica-elaborada-pela-secretaria-e-resultado-de-uma-sondagem-sobre-a-covid-19-feita-com-produtores-rurais-paulistas/

 

Mongaguá implanta Rede Solidária para fortalecer produção e economia local

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/mongagua-implanta-rede-solidaria-para-fortalecer-producao-e-economia-local/

 

Ação solidária de cooperativas do Vale do Ribeira destina toneladas de alimentos a Banco de Alimentos da cidade de São Paulo

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/acao-solidaria-de-cooperativas-do-vale-do-ribeira-destina-toneladas-de-alimentos-a-banco-de-alimentos-da-cidade-de-sao-paulo/

 

Associação de agricultores agroecológicos obtém renda e consegue escoar parte da produção com entrega de cestas adquiridas pela Prefeitura

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/associacao-de-pequenos-agricultores-agroecologicos-obtem-renda-e-consegue-escoar-parte-da-producao-com-entrega-de-cestas-adquiridas-pela-prefeitura-de-cruzeiro/

 

Produtor rural: Nota Fiscal eletrônica garante acesso a mais mercados, porém é preciso fazer as contas antes de decidir

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/produtor-rural-nota-fiscal-eletronica-garante-acesso-a-mais-mercados-porem-e-preciso-fazer-as-contas-antes-de-decidir/

 

Em Arealva, ação conjunta permite escoamento da produção de hortaliças, verduras e produtos com valor agregado

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/em-arealva-acao-conjunta-permite-escoamento-da-producao-de-hortalicas-verduras-e-produtos-com-valor-agregado/

 

Recurso de R$ 1 milhão da Fundação Banco do Brasil beneficia produtores rurais e 5 mil famílias em Mogi das Cruzes

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/recurso-de-r-1-milhao-da-fundacao-banco-do-brasil-beneficia-produtores-rurais-e-5-mil-familias-em-mogi-das-cruzes/

 

Queda de faturamento não tem se acentuado no setor de Food Service, segundo Grupo Técnico de Monitoramento do Abastecimento em SP

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/queda-de-faturamento-nao-tem-se-acentuado-no-setor-de-food-service-segundo-grupo-tecnico-de-monitoramento-do-abastecimento-em-sp/

 

Produtores artesanais buscam alternativas para garantir o faturamento durante a pandemia

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/produtores-artesanais-buscam-alternativas-para-garantir-o-faturamento-durante-a-pandemia/

 

500 dias de Governo: Secretaria de Agricultura e Abastecimento de SP foca em gestão moderna com estratégias assertivas

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/500-dias-de-governo-secretaria-de-agricultura-e-abastecimento-de-sp-foca-em-gestao-moderna-com-estrategias-assertivas/

 

Consumidor pode relatar falta de produtos e preços abusivos nos estabelecimentos por meio de site criado pela Secretaria

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/consumidor-pode-relatar-falta-de-produtos-e-precos-abusivos-nos-estabelecimentos-por-meio-de-site-criado-pela-secretaria-de-agricultura-e-abastecimento-de-sp/

 

Relatório de monitoramento do Abastecimento no Estado de São Paulo mostra crescimento na exportação de produtos do agronegócio

https://www.agricultura.sp.gov.br/noticias/relatorio-de-monitoramento-do-abastecimento-no-estado-de-sao-paulo-mostra-crescimento-na-exportacao-de-produtos-do-agronegocio/

 

Secretaria de Agricultura e Abastecimento divulga pesquisa com os impactos econômicos e sociais da COVID-19 na área rural

https://agricultura.sp.gov.br/noticias/secretaria-de-agricultura-e-abastecimento-divulga-pesquisa-com-os-impactos-economicos-e-sociais-da-covid-19-na-area-rural/

 

Governo, academia e iniciativa privada iniciam trabalho integrado para inovar o agro paulista

https://agricultura.sp.gov.br/noticias/governo-academia-e-iniciativa-privada-iniciam-trabalho-integrado-para-inovar-o-agro-paulista/

 

 

 

 

 

 

 

IP Na Mídia

Primeiro caso de dicefalia em tubarão bagre é registrado em Peruíbe

Cientistas brasileiros registraram o primeiro caso de dicefalia (duas cabeças) em um tubarão bagre (Squalus acanthias) em Peruíbe, no litoral sul de São Paulo.

A equipe de pesquisadores envolvida é do Instituto de Biologia Marinha e Meio Ambiente-IBIMM, da Faculdade de Medicina Veterinária da USP-SP, formada pelo biólogo e anatomista veterinário professor doutor Edris Queiroz, bióloga mestre Luana Felix; e do Instituto de Pesca de Santos, com o professor doutor Alberto Amorim e doutor Eduardo Malavasi.

O artigo foi publicado na 'Revista Internacional Brazilian Journal Publicações' e é o primeiro caso de dicefalia em uma espécie de tubarão bagre no mundo. Outro espécime, encontrado em 1934, tinha apenas o crânio deformado e foi considerado um monstro na época.

Fonte: Sistema Costa Norte de Comunicação, (https://www.costanorte.com.br/variedades/primeiro-caso-de-dicefalia-em-tubar%C3%A3o-bagre-%C3%A9-registrado-em-peru%C3%ADbe-1.244203

Instituto de Pesca participa de descoberta inédita no mundo

Cientistas identificaram tubarão-bagre com duas cabeças, corações, estômagos, esôfagos e rins e apenas um intestino.

Pesquisadores do Instituto de Pesca (IP-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, participaram de uma descoberta inédita no mundo: um tubarão-bagre com duas cabeças, dois corações, estômagos, esôfagos e rins e apenas um intestino. A pesquisa, liderada por Edris Queiroz e Luana Felix, cientistas do Instituto de Biologia Marinha e Meio Ambiente de Peruíbe, traz novos avanços para ciência e pode ser o início de um processo de descoberta de possíveis causas para essa anomalia. 

De acordo com o pesquisador do IP, Alberto Amorim, o tubarão-bagre foi encontrado no oceano por pescadores de arrasto de camarão-sete-barbas. O animal neonato, ou seja, recém-nascido, foi levado pelos pescadores ao Instituto de Biologia Marinha e Meio Ambiente e os pesquisadores do IP foram chamados para fazer a identificação correta da espécie. 

“O Instituto de Pesca tem longa expertise na identificação de espécies. Esse é um trabalho complexo, que precisa ser feito com muito cuidado. Anomalias desse tipo ocorrem ou podem ocorrer em diversos tipos de peixe ou tubarão. Na minha tese de doutorado, defendida em 1992, já havia identificado um embrião de tubarão-azul também com duas cabeças. Mas esta é a primeira vez que vemos um tubarão-bagre com essa característica”, conta Amorim. O trabalho também contou com Eduardo Malavasi, professor do Instituto Laje Viva, Projeto Mantas do Brasil. 

Ao todo, o Instituto de Pesca já realizou mais de 20 novos registros de espécies de peixes e tubarões encontradas no Oceano Atlântico. Quase a totalidade delas, porém, não tinha nenhuma anomalia. “Temos diversos alunos que nos ajudam nesse trabalho. Iniciei pesquisas nessa área em janeiro 1974. Ao todo, eu e meus alunos já fizemos mais de 35 viagens com barcos de pesca industrial para realizarmos pesquisas e publicamos cerca de 150 publicações científicas a respeito”, conta.

Fonte: Grupo Águas Claras (Colpani), 20 de novembro 2020 (https://www.grupoaguasclaras.com.br/instituto-de-pesca-participa-de-descoberta-inedita-no-mundo)

Pesquisadores brasileiros anunciam identificação do primeiro caso no mundo de tubarão-bagre com duas cabeças

Animal foi encontrado por pescadores no litoral de São Paulo e doado ao Instituto de Biologia Marinha e Meio Ambiente

Um grupo de pesquisadores brasileiros anunciou a identificação do primeiro caso de dicefalia — duas cabeças — em um tubarão-bagre da espécie Squalus acanthias no mundo. O animal foi encontrado por pescadores entre as cidades de Itanhaém e Peruíbe, no litoral sul de São Paulo, e doado ao Instituto de Biologia Marinha e Meio Ambiente (Ibimm), que conduziu a pesquisa juntamente com a Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de São Paulo (USP) e o Instituto de Pesca de Santos.  

De acordo com o artigo sobre a descoberta, que foi publicado no Brazilian Journal of Animal and Environmental Research, o animal pode ser também o primeiro registro de gêmeo siamês da espécie. Edris Queiroz, professor e biólogo responsável pelo estudo ao lado da bióloga Luana Felix (ambos do Ibimm) e dos professores Alberto Amorim e Eduardo Malavasi (do Instituto de Pesca), explica que, além das duas cabeças, o espécime apresenta dois corações e duas colunas vertebrais independentes, bem como outros órgãos internos duplicados.  

Registros de tubarões com duas cabeças são raros no mundo, mas há alguns documentados. No entanto, neste caso, trata-se do primeiro da espécie encontrado na natureza e descrito na literatura. Queiroz afirma que, infelizmente, esses animais costumam viver pouco tempo, pois se tornam presas fáceis logo após o nascimento.  

Segundo o biólogo, anomalias congênitas podem ser modificações ou malformações encontradas na fase de desenvolvimento embrionário do animal. E, apesar de não existir motivos definidos, por se tratar de um acontecimento muito raro, essas alterações podem ser causadas por fatores ambientais e genéticos. 

— (Pode estar relacionado à) poluição dos oceanos, alterações genéticas, compressão do útero da mãe e má divisão do óvulo — esclarece. 

Para Queiroz, a descoberta pode ajudar a chamar atenção para os problemas observados nos ambientes marinhos, considerando que o surgimento de anomalias pode sinalizar que algo preocupante está acontecendo. Além disso, pode auxiliar outros pesquisadores e cientistas a entender as anomalias desses animais, para então buscar medidas para a preservação das espécies.  

 

Fonte: Gauchazh, 04 novembro 2020 (https://gauchazh.clicrbs.com.br/ambiente/noticia/2020/11/pesquisadores-brasileiros-anunciam-identificacao-do-primeiro-caso-no-mundo-de-tubarao-bagre-com-duas-cabecas-ckh3t276w0064012t2u92t54v.html)

 

Endereço IP

Previsão do Tempo

Vídeos Selecionados